Os serviços de assistência domiciliária destinam-se a apoiar pessoas e famílias que por diversos motivos, não conseguem assegurar a satisfação das necessidades básicas da pessoa idosa dependente. Este tipo de apoio visa oferecer serviços personalizados no domicílio.

Existem diversas opções de cuidados e assistência domiciliária, caracterizados por uma oferta diversificada de serviços disponibilizados e horários instituídos. Em determinadas circunstâncias, essa assistência pode ser financiada e/ou assegurada pelo próprio Estado.

No âmbito privado o apoio a cuidados domiciliários é uma alternativa possível, no entanto, com custos assegurados pelas pessoas que o solicitam.

No domicílio, pode ter essencialmente dois tipos de assistência proporcionada pelo Estado: uma enquadrada no âmbito das respostas sociais, através do Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) e outra no âmbito dos cuidados de saúde, designado Apoio Domiciliário Integrado (ADI).

No domicílio, numa situação de dependência física ou psíquica, uma equipa de profissionais presta cuidados e serviços quando confirmado que a pessoa e família, não conseguem assegurar, temporária ou permanentemente, a satisfação das necessidades básicas (ex. higiene pessoal, vestir, alimentação) e/ou a realização das atividades instrumentais da vida diária (ex. higiene habitacional, tratamento de roupas, entre outras) da pessoa dependente.

Este tipo de apoio é realizado pelas designadas IPSS – Instituições Particulares de Solidariedade Social. Dependendo dos rendimentos e do comprovativo de despesas, é determinado o valor do co-pagamento dos serviços requeridos junto das IPSS. No sentido de perceber quais as IPSS disponíveis em Portugal pode consultar o site da Segurança Social.

Para conhecer as respostas sociais, no âmbito da ação social, tuteladas pelo Ministério da Solidariedade e da Segurança Social, sua caracterização, localização territorial, equipamentos e entidades de suporte consulte a Carta Social.

Este instrumento multiusos caracteriza-se por uma extrema flexibilidade nos domínios da informação social, ao mapear todas as IPSS a nível nacional, permite procurar as que se encontram mais próximas da sua residência. Uma vez nesta página selecione o separador Distrito e Conselho Sugerimos que deixe a opção das freguesias em aberto, para aumentar o número de respostas disponíveis. Selecione depois a resposta social que pretende e faça – Pesquisa.

O ADI assegura a prestação de cuidados médicos e de enfermagem ao domicílio, de natureza preventiva ou curativa e a prestação de apoio social indispensável à satisfação das necessidades humanas básicas. Deve constatar o seu médico de família para solicitar este tipo de apoio.

Salienta-se que no contexto da Rede Nacional de Cuidados Continuados e Integrados (RNCCI) qualquer pessoa que se encontre numa situação de dependência, pode receber cuidados de saúde e apoio social, com o objetivo de recuperar ou manter a sua autonomia e maximizar a sua qualidade de vida. Estes cuidados são prestados no domicílio ou em instalações próprias.

No âmbito da RNCI existe dois tipos de equipas domiciliárias: a equipa de cuidados continuados integrados e a equipa comunitária de suporte em cuidados paliativos.

 

Esta equipa multidisciplinar é da responsabilidade dos cuidados de saúde primários e das entidades de apoio social que prestam apoio ao domicílio e destina-se a pessoas em situação de dependência funcional, doença terminal ou em processo de convalescença, cuja situação não obriga a internamento, mas que os impede de se deslocarem do seu domicílio.

Esta equipa multidisciplinar presta apoio e aconselhamento diferenciado em cuidados paliativos no domicílio.